please select you language
  • PT
  • EN

Património

No extremo sudoeste europeu encontra-se uma região a que podemos chamar o Coração de Portugal.

Muitos dos acontecimentos que estiveram na origem de Portugal - o reino com as fronteiras mais antigas da Europa - deram-se nesta região, uma região atravessada pela História, mas também por mitos e lendas. A existência de três dos mais importantes monumentos portugueses considerados Património da Humanidade pela UNESCO, numa área de pouco mais de 90 km2 atesta este facto excepcional. Estes três monumentos constituem um autêntico compêndio da arte e arquitetura medievais e um retrato único da sedimentação histórica na formação da Europa. Alcobaça revelou-se um projeto não apenas de consolidação territorial em pleno período feudal, mas também de consolidação cultural - já que o mosteiro foi, também, um lugar de concentração da cultura medieval, onde pontificou a mais vasta biblioteca de Portugal; Tomar, para além de manter viva uma ligação aos “mistérios templários”, constituiu um centro do poder militar e da expansão europeia; enquanto que a Batalha consagrou uma geração de homens - entre vencedores e vencidos - que configurou os contornos da Europa e do mundo moderno.

Coração de Portugal. Coração porque, muito antes, muito depois e muito para lá dos factos históricos, esta região se manteve um lugar de encontro de culturas, que se exprimiu no sincretismo do povo “moçárabe”, lugar onde se formou a identidade portuguesa. Para mais, é neste “triângulo mágico”, como já alguém lhe chamou, que se encontra uma natureza,  imultaneamente agreste e acolhedora, nos cumes e vales das serras de Aire e Candeeiros.

Voltar